Análise mensal 17/07/2017

17/07/2017

Temer podia ter renunciado logo após a gravação ser divulgada, o TSE podia ter cassado a chapa inteira e, agora, o Legislativo pode derrubá-lo, a vida não está fácil para esse governo, nem tem como ser, esse é um dos principais fatos a ser considerado na nossa análise mensal de 17/07/2017.

Na verdade, vou adiantar logo que a minha aposta não muda, o que faz com que esse texto seja um reforço dos dois anteriores que analisam o cenário da economia e dos mercados para o mês.

Os dois textos anteriores são:

  1. Opções de ações na bolsa de valores – Dia 1
  2. Opções de ações para o mês de julho 2017

Então vou resumir logo o que eu acredito:

  • a China continua mentindo sobre os dados econômicos, a crise lá vai ser séria;
  • a bolha das ações norte-americanas segue aumentando;
  • as ações brasileiras estão caras frente ao cenário que estar por vir;
  • a eleição de 2018 vai fazer a bolsa afundar em algum momento.

Vamos conversar sobre cada ponto durante o texto, no fim esclareço a minha aposta!

Eu não confio nos chineses

Nem eu, nem um monte de gente séria.

O crescimento anunciado em torno de 7% já está sendo questionado e não é de hoje, além disso já é consenso de mercado que o crescimento que há é financiado com um nível de endividamento irracional, daqueles que “cheiram” a desastre.

Soma-se a isso:

  • um país com um governo totalitário;
  • um povo trabalhando em condições análogas à escravidão;
  • um governo que não deixa a moeda flutuar;
  • um presidente americano querendo recuperar a manufatura interna.

Todas as pessoas que tem a felicidade de estudar história sabem que há um limite para o endividamento, seja ele individual, corporativo ou nacional. Então a dúvida para com os chineses agora é apenas sobre o momento em que esse limite vai chegar, porque vai chegar.

Se eles fossem pagar a conta sozinhos, não seria um problema, mas nós vivemos em uma economia internacional globalizada, ou seja, todo mundo vai ajudar a pagar essa conta, principalmente grandes fornecedores da China, como o Brasil.

O que nos interessa nessa historia? Nosso Ibovespa vai cair muito quando isso acontecer!

Mas não é só esse evento no exterior que pode fazer com que as nossas ações percam valor, ainda tem outra coisa.

A maior bolha da história

17/07/2017

Mr. Trump está ajudando a levar a bolha americana para um nível ainda mais espantoso.

O presidente norte-americano está tomando medidas para fortalecer a economia dos EUA, da forma como ele prometeu na campanha, isso faz com que o movimento de aumento dos juros por lá, que já era esperado por outros motivos, se fortaleça, isso aumenta a quantidade de dinheiro que flui para lá.

Esse dinheiro, além de fazer falta em outros países mais dependentes, reforça a bolha nas ações americanas, que já mencionei e demonstrei no texto anterior. E ainda podemos somar a isso:

  • a saída da experiência com juros negativos;
  • a moda de que empresas de internet estão mudando o mundo;
  • e o medo em fazer investimentos no mundo real.

Juntos, tudo isso colabora para que a bolha americana seja a maior da história.

Quando essa bolha estourar, salve-se quem puder! A pergunta que fica é:

O governo norte-americano vai assumir o risco moral e salvar bancos de novo?

Da mesma forma que fez em 2008. Não é de pensar que uma hora a opinião pública vai virar e vai combater as empresas que são “grandes demais para quebrar”?

O que nos interessa nessa historia? Nosso Ibovespa vai cair muito quando essa bolha estourar!

Agora que já conversamos sobre o que pode vir de fora, vamos conversar sobre nossos problemas internos.

Mas antes, aproveite para:

Por que acreditam na mudança?

17/07/2017Perceba no gráfico do Ibovespa que a primeira grande queda nos preço é a crise de 2008, ela foi rápida e vertiginosa, você pode encontrá-la em todos os gráficos de preços de ações ao redor do mundo.

Mas a queda seguinte, que demorou mais, mas teve a mesma magnitude e foi concluída em 2015, não pode ser vista em outro lugar, a não ser no nosso Ibovespa. Ela coincide com o período em que a nossa equipe econômica era liderada (ou formada) por Dilma, Mantega e Tombini.

O que aconteceu em 2016, que marcou o fim da queda dos preço das ações e iniciou um aumento rápido e vertiginoso foi a queda do governo Dilma e, consequentemente, a troca da equipe econômica, que passou a ser liderada por Henrique Meireles e Ilan Goldfajn.

Agora o momento atual: note que o governo Temer já perdeu a credibilidade e corre grande risco de não conseguir avançar a reforma da previdência, o que anularia os efeitos do teto de gastos públicos e jogaria por água abaixo os esforços do governo na área fiscal, mas mesmo assim os preços das ações não caem! Percebe? Entende o porquê?

Porque existe um consenso de que a equipe econômica continuará a mesma.

Ou, pelo menos que a mudança na visão econômica do governo é irreversível, que qualquer governo que vier manterá as ações voltadas para a resolver a crise fiscal em que estamos. Se não fosse assim, não haveria motivo para o Ibovespa estar sendo negociado a 70.000 pontos.

Na minha opinião isso é um erro, que vou explicar a seguir, mas é o que está acontecendo.

A maioria está acreditando na mudança da visão econômica do governo. Mas não deveriam.

o que está por vir

Apesar da esperança de que há mudança de pensamento aconteceu, de que essa equipe econômica continuará, eu penso que isso não aconteceu. Não só não houve tal mudança, como corremos o risco da equipe econômica mudar.

Pode me chamar de pessimista, mas eu penso que essa esperança na equipe econômica e na mudança de pensamento do governo está errada, porque os políticos continuam trabalhando contra as finanças do país – isso faz parte do trabalho deles – e essa equipe econômica, apesar de séria, não conseguirá atingir as metas estabelecidas sozinha.

Então, o mais inteligente agora é apostar contra isso, infelizmente, contra o país.

Aposte na queda do preço das ações, tanto pela crise fiscal quanto por causa da eleição.

As eleições de 2018

17/07/2017

Ninguém se aproveitará melhor da situação que o país está passando do que esse cara aí da imagem. Seja candidato ou não, o ex-presidente Lula vai incomodar muito na próxima eleição e você precisa entender como isso corrobora minha visão, não importa o que aconteça.

Perceba que a volta do presidente ou de um aliado é a volta da política econômica desenvolvimentista, ou irresponsável, o que é o motivo central para a queda do preço das ações. Então qualquer possibilidade de isso acontecer vai bater no mercado. Então:

Se ele for candidato ou indicar alguém forte, o mercado tende a cair.

Se ele ou candidato indicado estiver na frente nas pesquisas, o mercado tende a cair.

Se ele ou candidato indicado for ao 2º turno, o mercado tende a cair.

Sendo assim, mesmo que ele não seja candidato, o que é muito provável, por causa dos processos judiciais e do índice de reprovação, ele pode indicar um candidato forte, o que é o suficiente para incomodar nas eleições.

Mas temos um agravante.

o brasileiro é de esquerda

Seja por alienação ou por interesse, a maioria dos brasileiros é de esquerda.

Na verdade essa discussão é muito complexa para um texto como esse, mas tenha em mente que a maioria das pessoas aceita e defende o discurso de ajudar os desfavorecidos – eu também – e aceitam que este seja utilizado para conseguir favores e concessões para uma interferência estatal exagerada na economia – eu não -, o que leva a uma política econômica desenvolvimentista ou socialista.

Esse discurso é capitaneado no Brasil por Lula e seus aliados.

Por isso eu acredito que daqui até a próxima eleição o mercado vai cair, porque muitos brasileiros, atraídos pela grande mídia e artistas alienados, vai cair nesse discurso fantasioso e as pesquisas apontaram avanço do candidato que for indicado.

Então, hoje 17/07/2017, eu especulo assim

Recapitulando os motivos pelos quais eu acredito que vale mais a pena apostar na queda das ações:

  • a crise da dívida chinesa vai chegar;
  • a bolha norte-americana vai ser a maior da história;
  • nós estamos com uma crise fiscal que deve chegar a ser insustentável;
  • a possibilidade de volta de petistas e aliados ao poder vai derrubar a bolsa.

É por isso que procuro opções de ações que me proporcione ganhos extraordinários na venda das ações.

Opto pela PETRT37 que está sendo negociada a R$ 0,04 com preço de exercício em R$ 10,75.

Compro dois lotes do meu risco nessa opção.

Porque só opções de Petrobras? Porque nenhuma ação representa melhor o Brasil do que a Petrobras.

Para saber mais sobre opções de ações, clique aqui.

E para você entender porque é fundamental ter opções de ações, eu recomendo fortemente que você leia: a estratégia do Investir Dinheiro.

Vejamos o que acontece até o próximo vencimento.

E muito obrigado por ler meu texto.

Boa sorte!