Opções de ações na bolsa de valores – Dia 1

É tempo de escrever, para organizar as ideias sobre o que pode acontecer nos próximos meses, e observar quais opções de ações estão mais interessantes.

Organizo as ideias da seguinte forma:

  1. Situação atual:
  • Nacional;
  • Internacional;
  1. Especulações:
  • Nacional;
  • Internacional;
  1. Decisões

Meu objetivo é tentar antecipar os maiores movimentos do mercado para os próximos 12 meses, no intuito de tomar decisões acertadas na compra de opções de ações.

Situação atual

Economia brasileira – será que chegamos ao fim da nossa maior crise em 100 anos?

Já não é mais novidade que o PIB brasileiro derreteu nos últimos dois anos (-3,8% em 2015 e -3,5% em 2016).

Observe que já se espera uma melhora no PIB, de uma queda de 3,5% em 2016 para uma leve alta de 0,8% em 2017. Mas isso ainda é uma expectativa!

E apesar da troca de governo, que melhorou muito as expectativas dos agentes, os resultados esperados para 2017 ainda não anunciam uma retomada.

Que quanto mais demora, pior ficam as expectativas para os próximos anos.

Na verdade, ainda é preciso ver a retomada dos investimentos privados.

O governo Temer briga para aprovar uma reforma da previdência, depois de aprovar o teto pros gastos públicos e encaminhar a reforma trabalhista.

A operação Lava-jato continua avançando nas mais diversas frentes, deixando aquele suspense investigativo “quem será o próximo?”.

Se o Estado brasileiro não fosse tão presente na economia, isso não seria um problema, mas é!

Economia internacional – Guerra? Bolha americana? Bolha chinesa? A Europa se recupera?

Apesar das constantes notícias sobre Trump fazer guerra, ele foi eleito prometendo o contrário, e, pelo menos até agora, está cumprindo promessas.

Ataque pontual na Síria e movimentações estratégicas na península coreana não são guerra.

Mais interessante que a guerra está a bolsa americana, que atingiu picos históricos com índices de volatilidade (VIX) muito baixos, já tem um monte de gente falando em bolha.

O que ofusca a famosa e já “velha” história sobre a bolha chinesa, que já faz alguns anos está sendo mencionada, mas até agora não estourou.

Do jeito que vai, é capaz da Europa se recuperar da recessão (os sinais disso ainda são confusos) e a bolha chinesa não estourar.

No meio disso tudo, o fato é que a situação de juros negativos nos principais mercados ainda não foi assimilada pela maioria, a nossa realidade já há alguns séculos é renumerar o capital emprestado, será que a realidade está mudando?

Ou esse negócio de juros negativos é uma experiência pela qual muita gente vai se arrepender? O tempo dirá.

 

Especulações

Mercado financeiro nacional – governo Temer e eleições 2018.

Duas coisas me chamam atenção para os próximos meses, vamos a elas:

A capacidade do governo Temer em aprovar as reformas

O mercado brasileiro já está caro (em alta desde o impeachment), se você considerar que a razão dos preços subirem foi a expectativa de uma mudança na política econômica.

Não dá pra dizer que a mudança não ocorreu, nem que a equipe econômica de Temer não avançou em alguns pontos.

Mas a melhora vista até agora é mais ancorada em expectativa do que em fatos.

Apesar de acreditar que o teto para os gastos públicos e a reforma trabalhista foram fatos positivos para economia do país, não acredito que sejam suficientes para resolver o problema.

Pelo contrário, a situação fiscal é séria e para mudar de verdade, nós vamos precisar de muito mais do que isso.

Acontece que quando chegou a hora da reforma da previdência, a coisa ficou complicada para o governo.

Pelo menos até agora, enquanto escrevo, apesar de a maioria ainda acreditar que a reforma deve passar (os preços falam isso), aqueles mais céticos (me incluo) já veem a reforma passando muito desfigurada (reduzida).

Tendo que apostar, eu opto por dizer que mesmo que a reforma passe, não será o suficiente, será bem desfigurada.

No que isso implica? Em queda nos preços das ações na bolsa de valores, oportunidades, em procurar venda nas opções de ações.

Mas não é só isso.

A eleição de 2018 e a campanha de PT e aliados

Aproveitando o julgamento do ex-presidente, o PT e aliados já estão em campanha.

Lula em discurso logo após o depoimento ao juiz Moro

Com um discurso que pode ser perigoso, pois estão usando um discurso de vítima, tanto “das elites” quanto do Judiciário.

Pode ser que não seja o suficiente para ganhar eleição, mas vai ser mais do que suficiente para incomodar muito nas eleições de 2018, seja Lula ou não o candidato.

Eu acredito nisso porque entendo que duas coisas capitalizam e muito esse discurso:

  1. Não vamos sair dessa crise como saímos das últimas, não vai haver uma retomada forte e rápida, dessa vez, o buraco é mais embaixo, isso vai manter o governo Temer com popularidade baixa, o que fará com que o apoio dele não seja relevante na eleição, ou pior, fará com que os candidatos associados a ele de qualquer forma tenham mais rejeição;
  2. As reformas que estão passando pelo congresso, assim como qualquer uma em tempo de crise, tiram “direitos” da população, essas coisas fazem com que o discurso petista se fortaleça;
Não estou afirmando que eles vão ganhar ou perder a eleição, não tem como saber.

Estou afirmando que essa campanha para a eleição de 2018 vai fazer os preços das ações caírem em algum momento.

Porque a medida que PT e aliados ganhem força rumo à eleição, o preço dos ativos devem começar a cair, pois o mercado vai precificar o risco da volta da “Nova Matriz Econômica”.

Nada seria mais prejudicial para esse país do que aquilo que o jogou na pior crise em 100 anos.

Ou seja, acredito que isso também pode nos fazer ver fortes quedas na bolsa de valores.

O que reforça meu desejo de procurar venda nas opções de ações.

Mercado financeiro internacional – vai explodir ou não?

Quando eu penso em crises, lembro logo do excelente livro “Manias, pânico e crashes” de Charles P. Kindleberger. E, como ele mesmo afirma, nada nos prepara para o momento da explosão.

Quando eu digo explodir, quero dizer que depois que o mercado cria uma bolha, ele a explode.

E no momento da explosão, a queda dos preços é vertiginosa, é brutal, é violenta. Como diz o famoso ditado do mercado “sobe de escada, mas desce de elevador”.

Obs.: as opções de ações também explodem, chegam a valorizar 5.000%.

Já faz 10 anos desde a última crise na bolsa de valores americana: em 2008 o mundo assistiu aquela que foi a maior crise financeira já vista.

Mas não se engane, estamos vendo a nova “maior crise financeira já vista” a alguns séculos, porque elas tendem a ser maior do que a anterior.

O fato de que a bolsa americana está hoje nas máximas históricas e de que o medidor de volatilidade (VIX) está nas mínimas só confirma o cenário mais do que propício para a explosão da bolha.

será a nova maior crise financeira já vista?

O problema é se vai explodir e quando. Não tem como saber, só tem como se posicionar para o momento que pode acontecer ou não.

Essa bolha na bolsa americana ofusca a bolha chinesa ou um possível colapso da União Europeia, na verdade, ela pode fazer com que a bolha chinesa exploda e a União Europeia também, num efeito cascata.

Ou seja, lá fora os possíveis fortes movimentos nos preços do mercado também devem ser de queda, pelo menos é no que eu acredito no momento.

Mais um motivo para eu procurar venda nas opções de ações.

Decisões (procurando opções de ações)

Na expectativa de aproveitar as possíveis quedas nos preços, aqui ou lá fora, tomo a decisão de comprar opções de ações na venda.

O dia para comprar essas opções é justamente o dia do vencimento das opções do mês anterior, 3ª segunda do mês, hoje!

No homebroker, estou vendo PETRR12 negociando a convidativos R$ 0,03.

A minha aposta, baseada no que eu acho que pode acontecer, é essa.

Mas eu sou humilde quanto à minha capacidade de prever acontecimentos.

Por isso eu compro dois “lotes” da PETRR10 e compro um “lote” na posição contrária, na compra.

Novamente no homebroker, eu vejo PETRF80 sendo negociada a R$ 0,03.

E dessa forma eu já tomei as decisões que precisava para estar exposto a movimentos significativos nos preços das ações até o próximo vencimento de opções de ações.

Boa sorte!