Desvendando o mercado financeiro no Brasil

Mercado financeiro, ou mercado de dinheiro.

Uma coisa que me incomoda muito é quando eu dou um google sobre algum assunto e não consigo encontrar uma página que me apresente um conteúdo que seja suficiente. Geralmente tenho que ler vários retalhos até formar uma ideia clara sobre o assunto.

Quando pesquiso mercado financeiro no google aparecem várias páginas com abordagens diferentes, mas encontro:

  • conceitos ainda mais estranhos para quem não conhece mercado financeiro;
  • mais propagandas do que conteúdo útil;
  • pouco conteúdo e ainda limitado a uma parte pequena do mercado financeiro;

Não consigo encontrar um texto com conteúdo adequado para explicar o que é mercado financeiro, dicas úteis sobre mercado financeiro e a verdade sobre mercado financeiro.

O problema é que sem entender o que é mercado financeiro, como fazer investimentos financeiros? Como investir dinheiro para uma aposentadoria tranquila? Não dá para investir! A pessoa não precisa virar um especialista, mas pelo menos tem que entender o mercado financeiro!

Como vivo mercado financeiro a 13 anos, resolvi escrever esse texto!

Tem 3 coisas que as pessoas precisam entender sobre mercado financeiro:

  • compreender perguntas básicas: o que é, onde, como, quando e porquê;
  • entender como as pessoas e as empresas se relacionam nesse mercado;
  • entender a importância desse mercado para a sua própria vida.

É bastante coisa, mas vai valer muito a pena saber disso, pode mudar sua vida!

Mercado de dinheiro

O mercado financeiro nada mais é do que aquele em que se negocia dinheiro. Aquilo que utilizamos como meio de troca de bens, produtos e serviços, e que, inteligentemente, também utilizamos para acumular riqueza para o futuro incerto que sempre está à nossa frente.

Antigamente acumulava-se terras e/ou metais, preferencialmente, hoje acumula-se dinheiro.

Ou seja, no mercado financeiro nós negociamos dinheiro, ou compramos dinheiro quando precisamos, ou vendemos (emprestamos) dinheiro quando temos sobrando, simples assim.

Sistema Financeiro Nacional

No Brasil, um conjunto de leis e afins forma o ambiente necessário para que nós possamos negociar dinheiro: o Sistema Financeiro Nacional.

Esse sistema define o papel das pessoas, das empresas e das instituições no mercado financeiro:

  • investidores: aqueles que vendem dinheiro;
  • tomadores: aqueles que compram dinheiro;
  • intermediadores: aqueles que trabalham para conectar investidores a tomadores;
  • reguladores: aqueles que fiscalizam e supervisionam as atividades para garantir a lei.

Você pode conhecer a estrutura do Sistema Financeiro Nacional, clicando aqui.

Os investidores

São pessoas e empresas que possuem dinheiro acumulado ou administram dinheiro de terceiros.

As pessoas podem investir no mercado financeiro diretamente, comprando títulos públicos (tesouro direto) ou privados (CDB, LCI, LCA, debêntures), comprando e vendendo ações ou opções, negociando dólar ou café, e assim por diante.

Ou podem investir indiretamente, através de fundos de investimento e clubes de investimento, que, constituídos em pessoa jurídica, negociam no mercado financeiro com dinheiro de vários investidores.

investidores

Os tomadores

São os bancos, as empresas e o governo.

Os bancos são grandes tomadores de dinheiro, o negócio deles é justamente tomar emprestado de um para emprestar para outro. Logo, estão sempre pegando dinheiro emprestado (tomando) no mercado financeiro, para emprestar para quem precisa. Fazem isso através de CDB, LCI, LCA, entre outros.

As empresas precisam de dinheiro para financiar seus negócios ou para novos empreendimentos, tomam dinheiro de duas formas:

  1. via ações, quando vendem parte de seus negócios para outros investidores;
  2. via debêntures, quando pedem emprestado (como os bancos fazem com o CDB);

O governo é o maior tomador de dinheiro, está sempre precisando, tanto quando não consegue pagar as próprias contas (o que vem acontecendo bastante), quanto para financiar suas atividades sociais, faz isso através dos títulos públicos, via sistema do tesouro direto.

Os intermediadores

Os bancos também são os principais intermediadores, mas também tem as bolsas de valores, as corretoras de valores e os assessores de investimento.

O negócio dos intermediadores é fazer com que investidores e tomadores façam negócio, em troca disso recebem uma porcentagem do negócio.

Não é difícil intuir que quanto mais intermediários, pior para os investidores.

Os reguladores

São instituições criadas para fiscalizar e supervisionar o mercado financeiro, a fim de que as leis sejam cumpridas, o destaque no Brasil é a CVM – Comissão de Valores Mobiliários.

Os reguladores garantem que os investidores não sejam lesados quando compram uma ação, ou um CDB, ou uma previdência privada, ou uma cota de fundo de investimentos, ou qualquer outro produto do mercado financeiro.

Na prática é assim que funciona

Nada melhor do que ver alguns exemplos para entender como funciona:

  • José compra um CDB do Banco do Brasil na agência em que tem conta;

José é o investidor, o Banco do Brasil é o tomador, a B3 tem a custodia do CDB e a CVM supervisiona a negociação.

  • Dona Maria assina um plano de previdência privada na Caixa Economia Federal para o neto que acabou de nascer;

Dona Maria é a investidora, a Caixa, os fundos de investimento e a B3 (custódia) são os intermediadores, o principal tomador (tem vários) é o Governo e a CVM (e outras) supervisiona a negociação;

  • Felipe, cliente da Ágora corretora de valores compra uma ação da petrobras porque o Brasil é o país do futuro (?);

Felipe é o investidor, a Petrobras é a tomadora, a Ágora e a B3 são as intermediadoras e a CVM supervisiona a negociação.

Acho que ficou claro que:

  • Sempre haverá um intermediário;
  • Mas pode haver um mínimo ou podem haver vários;
  • Por intuição, é melhor optar pelo mínimo.

Obs.: uma consultoria de investimentos não é uma intermediadora, considere contratar uma!

Vida de investidor

Agora que ficou claro como funciona, precisamos avançar para a vida do investidor no mercado financeiro.

Já deu pra perceber que as opções não são muitas, mas mesmo assim vale a pena lista-las e explica-las.

Para tanto vamos separá-las em 3 categorias:

  • Renda fixa: quando o valor investido pode ser recebido totalmente no prazo de vencimento, acrescido de juros (é um empréstimo);
  • Renda variável: quando o valor investido pode variar indefinidamente, não tendo prazo de vencimento (é uma aposta);
  • Investimentos indiretos: quando o valor é transferido a outrem, para que este faça os investimentos;

A renda fixa

renda fixa

O investimento em renda fixa pode ser dividido em dois grupos:

  1. títulos públicos, emprestando dinheiro para o governo:
  • tesouro prefixado (LTN): o rendimento é definido na compra;
  • tesouro Selic (LFT): rendimento atrelado à taxa Selic;
  • tesouro IPCA+ (NTN-B): rendimento de IPCA (inflação) mais juros definidos na compra;

obs.: um excelente livro sobre isso é esse, Como investir no tesouro direto .

 

  1. títulos privados, emprestando dinheiro para bancos ou empresas:
  • CDB: quando o banco pega emprestado para seus negócios (empréstimos);
  • LCI: quando banco pega emprestado para novos financiamentos imobiliários;
  • LCA: para novos financiamentos agropecuários;
  • Debêntures: quando empresas pegam emprestado para financiar negócios;
  • Dentre outros.

Para saber mais sobre investimentos em renda fixa, clique aqui.

A renda variável

Se fosse nos EUA, eu teria dificuldade para listar as bolsas de valores, mas aqui é só uma mesmo, a B3, fusão da Bmf&Bovespa com a Cetip. Numa bolsa de valores você pode negociar:

  • Ações: participações em empresas de capital aberto, como Petrobras, Vale e Ambev;
  • Opções de ações: contratos que te dão o direito de comprar ou vender uma ação em uma determinada data no futuro;
  • Contratos futuros de índice: no Brasil, o mais negociados é o ibovespa;
  • Contratos futuros de dólar: negociação da moeda americana na bolsa;
  • Contratos futuros de commodities agrícolas: como café, milho, boi e etc;
  • Contratos futuros de juros DI: sim, até os juros são negociados.

Para saber mais sobre renda variável, clique aqui.

Investimentos Indiretos

Quando você não investe diretamente em renda fixa ou renda variável, mas entrega seu dinheiro para que terceiros administrem, você faz um investimento indireto, que pode ser feito através de:

  • Fundos de investimento: podem ser DI, de renda fixa, de inflação, de ações, multimercado, etc;
  • Clubes de investimento: são grupos de investidores que unem-se para comprar ações de empresas;
  • Plano de Previdência Privada: quando você entrega o dinheiro ao banco para que ele invista em fundos de investimento.

O mercado financeiro e o seu dinheiro

Se eu quero negociar um carro, onde vou? A um supermercado? Não! Vou a uma loja de carros!

Se eu quero negociar uma casa, onde vou? A uma loja de carros? Não! Vou a uma imobiliária!

Vamos nos lugares onde as pessoas entendem sobre o que queremos negociar, onde as pessoas conhecem o que está sendo negociado, onde as informações corretas estarão. Então, quando o assunto é investir dinheiro, é no mercado financeiro que estarão as melhores informações.

É por isso que quando o assunto for investir o seu dinheiro, olhe para o mercado financeiro. Vou te dar 3 razões para fazer isso:

  1. Os menores riscos estão no mercado financeiro (na ordem, título público e poupança);
  2. O preço justo pelo seu dinheiro, investindo sem risco, equivalem-se ao do CDI;
  3. Nenhum mercado é mais bem regulado e respeitado do que o mercado financeiro.

A importância de investir dinheiro

Acho que já coloquei isso aqui em vários artigos desse blog, mas é tão relevante que nunca vai ser demais.

99% dos aposentados desse país precisam da ajuda de filhos, de parentes ou do governo; boa parte desse problema acontece porque as pessoas não economizam para o futuro, não constroem sua própria aposentadoria.

Não seja uma dessas pessoas, comece agora, como disse Sêneca: “é tarde para poupar quando o que nos resta é apenas o fundo da garrafa”.

Invista no mercado financeiro

Se você já teve algum dinheiro acumulado, provavelmente já participa do mercado financeiro, pois a porta de entrada desse mercado no Brasil é a poupança. Você deve ter começado por ela.

Mas se você chegou até aqui, já entendeu que o mercado é muito mais amplo e oferece oportunidades muito melhores que a poupança, como o tesouro direto.

Não adie a decisão de criar sua bola de neve de dinheiro por muito mais tempo, comece agora a acumular para a sua aposentadoria. Caso precise de ajuda, não hesite em procurar uma consultoria de investimentos.

Espero ter contribuído para a sua educação financeira e ficaria muito grato se você compartilhasse esse texto com sua família e seus amigos, seria muito bom para eles, para você, para mim e para o nosso país.

Muito obrigado por ler meu texto e boa sorte!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *