A renda fixa: inclusive a verdade que ninguém te conta

Muitos falam, mas poucos entendem de verdade a renda fixa. Te ofereço aqui um conteúdo de primeira sobre isso e em troca só deixo alguns links afiliados pelo texto. Boa leitura!

Eu tenho o hábito, que considero saudável, de ler todo dia. Sempre aprendendo coisas novas.

Experimento várias sensações e reflexões lendo, e uma das que me incomoda e que acontecem com muita frequência é a de encontrar ideias ou conceitos que eu acho que podia ter aprendido ainda quando criança ou adolescente.

Sinto isso toda vez que leio sobre renda fixa! Nós devíamos aprender isso desde cedo, sabe porque?

  • Quanto mais cedo soubéssemos, mais cedo começaríamos a investir dinheiro;
  • As negociações de renda fixa estabelecem o preço justo do dinheiro;
  • Todos os gestores de investimento que tiveram sucesso tem muita renda fixa;

Por entender que é fundamental entender, escrevi o texto, pretendendo responder as questões a seguir:

  • O que é renda fixa?
  • Quais os principais investimentos em renda fixa?
  • Porque fundos de renda fixa não são investimentos de renda fixa?
  • Porque os melhores gestores tem investimentos em renda fixa?
  • Qual a verdade sobre renda fixa que ninguém te fala?

Você vai estar em condições de conversar sobre renda fixa com qualquer pessoa quando terminar esse texto.

O que é renda fixa?

São investimentos em que você recebe seu dinheiro de volta em uma determinada data futura, mais os juros combinados.

Ou seja, quando você entrega seu dinheiro em troca de um título de renda fixa, você combina qual o valor dos juros que vai cobrar por ceder seu dinheiro e quando você quer o seu dinheiro de volta com os juros.

Você deve ter percebido que a renda fixa nada mais é do que: emprestar dinheiro!

Um exemplo conhecido: quando você coloca dinheiro na poupança, você sabe o prazo (nesse caso qualquer dia), você sabe a rentabilidade, você sabe que terá seu dinheiro de volta!

Um exemplo não tão conhecido: você investe em títulos prefixados do governo federal (através do tesouro direto), você conhece o prazo (os títulos tem prazos definidos), você conhece os juros (também definidos na hora do investimento), você sabe que terá seu dinheiro de volta!

Simples assim!

Dica: um guia prático para aprender sobre Tesouro Direto!

Quais são os principais investimentos de renda fixa no Brasil?

O investimento em renda fixa pode ser dividido em dois grupos:

  1. Títulos Públicos

Quando você empresta dinheiro para o governo.

Os 3 principais títulos públicos são:

Tesouro prefixado

Chama-se prefixado porque os juros que você recebe junto com o seu dinheiro de volta são definidos no momento em que você investe seu dinheiro.

Por exemplo: você investe hoje R$ 10.000,00 com vencimento daqui a 2 anos e um juros anual de 12%; daqui a dois anos você recebe R$ 12.400,00 (seu dinheiro + juros).

Tesouro Selic

Chama-se Selic porque os juros que você receberá com o seu dinheiro de volta serão iguais à taxa Selic.

Por exemplo: você investe hoje R$ 50.000,00 com vencimento daqui a 1 ano; se a SELIC do ano for de 11%, em um ano você receberá R$ 55.500,00 (seu dinheiro + juros).

Tesouro IPCA+

IPCA é a inflação medida pelo IBGE, o sinal “+” quer dizer que soma-se a inflação com mais alguma coisa.

Chama-se IPCA+ porque os juros que você receberá com o seu dinheiro de volta serão iguais ao IPCA somado ao juros combinado.

Por exemplo: você investe R$ 100.000,00 em um título IPCA+ com juros estabelecidos em IPCA+5% e prazo de 1 ano; daqui a um ano, supondo a inflação de 5%, você receberá R$ 110.000,00 (seu dinheiro + juros).

O mercado de títulos púbicos – Tesouro Direto

Todos esses títulos públicos são disponibilizados pelo governo federal no sistema do Tesouro Direto, plataforma criada pelo Tesouro Nacional para popularizar o investimento em títulos públicos.

A rentabilidade dos títulos públicos costuma ser próxima à taxa Selic.

tesouro direto

Reforçando a dica: um guia prático para aprender sobre Tesouro Direto!

  1. Títulos privados

Quando você empresta dinheiro para um banco ou para uma empresa.

Os 3 principais títulos privados são:

CDB (Certificado de Depósito Bancário)

O principal negócio dos bancos é pegar dinheiro emprestado de uns e emprestar a outros. Uma das formas de captar dinheiro é pegar emprestado com investidores que tem dinheiro acumulado e precisam ganhar juros para o seu dinheiro.

Os bancos fazem isso através dos CDB’s. Em todos os bancos você pode comprar um CDB.

LCI (Letra de crédito imobiliário)

Quando os bancos precisam de dinheiro para emprestar para pessoas que querem fazer financiamentos imobiliários, uma das formas utilizadas para conseguir esse dinheiro é através das LCI’s.

As LCI’s podem ser encontradas nos principais bancos do país, aqueles que mais fazem financiamentos imobiliários.

Debêntures

Quando as empresas precisam de dinheiro para financiar suas dívidas ou seu fluxo de caixa, costumam emitir debêntures, para pegar dinheiro emprestado com investidores em vez de pegar emprestado com bancos.

Consiste em uma forma mais barata de pegar empréstimos.

As taxas de juros pagas nas debêntures costumam ser melhores, mas os prazos são maiores.

O mercado de títulos privados de renda fixa

Não existe um sistema que organize a negociação de todos os títulos privados.

Os bancos e as empresas buscam investidores de diferentes formas e maneiras, de acordo com a quantidade de dinheiro que estão precisando, com as condições do mercado financeiro e com os custos envolvendo a captação desse dinheiro.

De forma que para que o investidor tenha acesso a alguns CDB’s, seja necessário ter uma conta bancária, mas em outros seja possível comprar através de uma corretora de valores. Enquanto que, para comprar uma debênture todos os investidores precisam ter conta em uma corretora de valores, seja do banco ou independente.

A rentabilidade da renda fixa privada também depende muito do mercado.

Por exemplo, os CDB’s dos grandes bancos tem uma rentabilidade mais baixa, pois eles conseguem vende-los a clientes que não sabem investir dinheiro. Enquanto que CDB’s com maiores rentabilidades são vendidos pelas corretoras para clientes que os procuram.

Considere ter uma consultoria de investimentos para te ajudar com o mercado de renda fixa privada.

Porque fundos de renda fixa não são investimentos de renda fixa?

Existe uma confusão quando se conversa sobre fundos de investimento, e ela precisa ser esclarecida.

Os fundos de investimento não são uma aplicação financeira direta, ou pura. Os fundos são intermediários.

Quando você aplica dinheiro em um fundo de investimento, você dá seu dinheiro para que outra pessoa o invista, e ainda paga para que ela faça isso.

Isso faz todo sentido para um milionário, mas não faz sentido para o pequeno e médio investidor.

Para o pequeno investidor, quanto menos intermediários, melhor!

Fundos de renda fixa são fundos de investimento que só compram títulos de renda fixa.

Mas para isso cobram taxas de administração e de performance, contudo só essas taxas já deixam os investidores em desvantagem. E mais.

Quando você investe em um fundo de renda fixa, você não empresta seu dinheiro para o governo ou empresas que tem a obrigação por lei de devolvê-lo, não tem a mesma segurança.

Prova disso é que os títulos de renda fixa são cobertos pelo Fundo Garantidor de Crédito e os fundos de renda fixa não.

Ou seja, se você aplicou em um CDB de um banco que quebrar, o Fundo Garantidor de Crédito lhe devolve o dinheiro com os juros num limite de até R$ 250.000,00 (por CPF).

FGC

Mas se esse mesmo dinheiro estivesse em um fundo de renda fixa que tivesse comprado esses títulos, você não teria essa segurança.

Se você não é um milionário, não compre fundos de renda fixa, e se for, procure analisar se realmente vale a pena!

Em vez de investir em fundos, tenha um consultor de investimentos, que é muito mais barato!

Porque os melhores gestores tem investimento em renda fixa?

Tem um cara no mundo dos investimentos que eu respeito muito, acho que a maioria respeita, esse cara é o Warren Buffett, o maior “poupador” de todos os tempos.

Numa das suas afirmações polêmicas (ele tem várias!), disse que quando morrer deixará dinheiro aplicado para a esposa da seguinte forma:

  • 80% em títulos do governo americano;
  • 20% nas principais ações americanas.

Isso causou uma polêmica porque ele é o maior investidor em ações que o mundo conhece.

Então porque ele deixaria a maior parte em renda fixa? Não acredita nas ações?

Ele já respondeu a polêmica explicando que ele é um empresário conhecedor de empresas, que essa é a profissão dele, que mais do que um investidor, ele é um administrador de empresas.

A mulher dele não é uma administradora de empresas; quando ele morrer, ela será uma investidora, e por isso a melhor alocação seria essa.

Na verdade, essa é alocação que ele recomenda para todas as pessoas que investem e não são administradoras de empresas do nível dele.

Esse mesmo cara já disse várias vezes que o melhor livro de investimentos de todos os tempos é o livro do mentor dele, Benjamim Graham, chamado “Investidor Inteligente”.

Nesse livro, uma das primeiras mensagens do Graham é que o primeiro objetivo do investidor deve ser a sobrevivência.

NÃO É SÓ ELE QUE MANDA ESSA MENSAGEM

A mesma mensagem que li em outro livro, de uma lenda do mercado americano chamada Nassim Taleb. Esse libanês escreveu 3 livros: Iludido pelo acaso, A lógica do Cisne Negro e Antifrágil; em que ressalta a importância fundamental de buscar sobreviver no mercado, antes de tentar ganhar algum dinheiro.

E, para finalizar, essa mesma mensagem é marca registrada de outra lenda do mercado, Ray Dalio, que afirmou:

“Primeiro certifique-se de que não existe a possibilidade de você perder tudo”.

O livro dele é “Principles: Life and work“.

Falo por experiência própria, que a pior coisa que pode acontecer para um investidor é perder muito dinheiro, em qualquer investimento.

E a melhor forma de fazer isso é investindo a maior parte do seu dinheiro em renda fixa!

Lembre-se, é o conselho do maior “poupador” de todos os tempos.

Se achar necessário, contrate uma consultoria de investimentos!

Qual a verdade sobre renda fixa que ninguém te fala?

A verdade é que ela não é fixa! Ou melhor, ela só é fixa no prazo de vencimento.

Ou seja, antes do prazo de vencimento, se o seu investimento permitir, você pode vender pelo preço que ele estiver sendo negociado.

Por exemplo, digamos que você compre um título público hoje com prazo de vencimento de 2 anos; durante esses dois anos, você pode devolver o título para o governo em troca do seu dinheiro.

Mas o dinheiro que o governo vai te pagar não é o seu dinheiro mais os juros que seriam devolvidos a você no prazo de vencimento.

Pois esse título poderá estar sendo negociado a um valor diferente do que você pagou.

Esse valor de negociação poderá ser maior ou menor do que o valor que você pagou.

Ou seja, se estiver sendo negociado acima, você poderá ganhar mais dinheiro do que se esperasse o prazo de vencimento, e se estiver negociando abaixo, você perderá dinheiro.

Você, como investidor, leva muita vantagem por isso!

Observe que se você comprou o título para vencimento em 2 anos e ele está sendo negociado abaixo do valor que você pagou, você não está no prejuízo, porque se você esperar até data do vencimento, receberá todo seu dinheiro de volta mais os juros combinados.

Você não tem risco de mercado aqui.

Mas observe também que se o mesmo título está sendo negociado muito acima do valor, você pode aproveitar para ganhar mais dinheiro do que esperava com esse investimento, vendendo o título para o governo e reinvestindo os lucros.

Você só tem a ganhar nessa venda e ainda aumenta seu dinheiro aplicado.

Percebeu a enorme vantagem da renda ser fixa apenas no prazo de vencimento?

Mas perceba, você só poderá fazer isso com títulos públicos, no Tesouro Direto, conheça e invista!

Comece logo a juntar seu investimento em renda fixa

Agora que você sabe o que é renda fixa, conhece as principais formas de investimentos, vá em frente e comece a juntar dinheiro para a sua aposentadoria.

Se quiser ou precisar de ajuda, eu adoraria ser seu consultor!

Espero, sinceramente, ter contribuído para a sua educação financeira.

Eu ficaria muito agradecido se você compartilhasse esse texto com sua família e seus amigos, pois quanto mais pessoas tiverem acesso a educação financeira, melhor para nós, melhor para o Brasil.

Muito obrigado por ler meu texto!

Caso queira entrar em contato comigo, envie um e-mail para projetotykhe@gmail.com

Um abraço e boa sorte!